Bancos se preparam para serem líderes digitais

Bancos se preparam para serem líderes digitais
16 ago 2018

É o que indica o 2º Global Bank Outlook 2018, elaborado pela Ernest Young

O investimento em tecnologia, com a implementação de serviços digitais, será prioridade em 2018 para 85% das instituições financeiras, segundo o Global Banking Outlook 2018, estudo elaborado pela EY. A pesquisa contou com a participação de 221 instituições e mostrou que atualmente apenas 19% dos bancos se consideram líderes digitais, enquanto mais da metade (62%) tem como expectativa atingir esse patamar até 2020. No Brasil, atualmente nenhuma empresa se considera líder digital.

Nesta edição do estudo, 70% dos entrevistados planejam investir em tecnologia para fortalecer seu posicionamento competitivo e ganhar participação de mercado. Outro ponto que segue em destaque nos resultados globais é a retenção de talentos. Segundo 83% dos entrevistados esta cada vez mais difícil a contratação de especialistas com formação e experiência digital.

Cerca de 12% dos entrevistados esperam um crescimento superior a 9% na receita nos próximos 12 meses e 31% nos próximos 3 anos. Da mesma forma, 7% dos entrevistados esperam mais de 9% de crescimento do ROI nos próximos 12 meses e 23% nos próximos 3 anos.

Controlar riscos e se proteger de ameaças internas e externas permanecem na lista de prioridades dos bancos, mas a maior ênfase é na melhoria do desempenho financeiro através do crescimento e otimização dos recursos.

Porém, para manter o ROI médio de 2017 de 11%, as receitas dos bancos precisariam ser aumentadas em 2,4% até 2020, isso implica em conter custos e melhorar a eficiência operacional.

“Projetada por especialistas de Câmbio e Comércio Exterior apoiados por profissionais com alto conhecimento de tecnologia de vanguarda, a suíte TreeFX BANK gera independência de fornecedores de hardware e software com economia de custos, pois preserva os investimentos efetuados em infraestrutura e recursos humanos pela empresa. Uma excelente opção para essa demanda dos bancos que querem ser líderes digitais”, ressalta Odilon Costa, CEO & Presidente da Tree Solution.

O executivo explica que esse é o único sistema do mercado projetado com técnicas avançadas de BAM (Business Activity Monitoring), SOA (Services Oriented Architecture) e EDA (Event Driven Architecture), componentes do nosso módulo Tree FT& E (Foreign Trade &Exchange Business Automation) apoiados em regras de negócio de câmbio e comércio exterior, totalmente automatizados em um poderoso workflow interno.

A suíte TreeFX BANK é uma solução completa para a automação e gestão das operações das áreas de câmbio e comércio exterior. Desenvolvida totalmente aderente à arquitetura Java EE, com o conceito de STP “Straight Through Processing”, garante o tratamento automatizado de grandes volumes de transações, com eficiência em ambientes de trabalho intuitivos e com o mínimo de intervenção humana.

Adicionalmente, a suíte TreeFX BANK possui um cadastro completo, o TreeCorp, que pode ser utilizado isoladamente ou integrado ao cadastro de clientes da instituição financeira, oferecendo inúmeras facilidades ligadas a administração do cliente como assinatura digital de contratos, firmas e poderes, controle de documentos, controle societário, limite operacional, alçadas e limites, controle da cadeia societária, entre outras facilidades.

Outra revelação da pesquisa da EY é que o reforço da segurança cibernética está no topo de prioridades para os bancos no próximo ano. No entanto, será preciso em investir em pessoas e em tecnologias e, é provável, que as instituições enfrentem desafios como, por exemplo, encontrar o talento certo quando há uma escassez de competências em segurança cibernética e como integrar especialistas cibernéticos em suas organizações.

A inteligência artificial (IA) e a análise avançada, também que terão papel chave na prevenção de ataques cibernéticos, mitigando os riscos para prevenir crimes financeiros.

Adicionalmente, a gestão da reputação e risco de conduta continua sendo outras duas prioridades. Os bancos estão procurando novas maneiras de gerenciar os riscos associados aos crimes financeiros e lavagem de dinheiro, usando cada vez mais tecnologias avançadas, como análise, machine learning, robótica e inteligência automatizada para apoiar esses esforços.

De acordo com a EY, ao se tornarem líderes digitais os bancos devem ter a capacidade de medir o sucesso da inovação e estar cientes que alcançar a maturidade digital não deve ser o objetivo final.

A maturidade é um alvo em movimento e o banco pode ser visto como um líder digital até o próximo avanço tecnológico, depois disso, precisará reavaliar o alinhamento operacional, suas capacidades, metas, estratégias e planos de investimentos.

As marcas de um verdadeiro líder digital têm flexibilidade, agilidade e capacidade em executar mudanças e, principalmente no mercado financeiro, se adequar às normas internacionais como Basileia, GDPR, entre outros.

“Atenta às exigências regulatórias, tanto nacionais como internacionais, a Tree Solution também desenvolveu para a suíte TreeFX BANK um poderoso software para a gestão de conformidade e riscos, o TreeCompliance, que pode ser utilizado tanto na forma ativa como passiva”, afirma o CEO.

Na forma ativa, seu principal diferencial de mercado é evitar com que as instituições aceitem clientes e/ou efetuem operações ilícitas com os mesmos, evitando também que fornecedores e/ou colaboradores pratiquem atos ilícitos em suas operações com a instituição, preservando assim a integridade do negócio em aderência às normas e leis vigentes.  “A suíte possui módulos flexíveis, que podem ser adquiridos conforme a necessidade”, completa.

PRINCIPAIS VANTAGENS DA SUITE TREEFX BANK

 INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

 AUMENTO DA RENTABILIDADE

 AGILIDADE OPERACIONAL

 REDUÇÃO DE CUSTOS

Share

Tree Solution

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *